sábado, 11 de abril de 2015

O adjetivo é o que fode tudo.

Talvez um exercício interessante seja o de emitir qualquer parecer - interno, externo, real, virtual - após um mês ou dois de cuidadosa reflexão. Não ceder ao imediatismo e à efemeridade das coisas, não ceder à culpa de soar analógico, notícia velha, concatenação à manivela. 

Talvez - de fato, - o melhor seja não emitir parecer algum e ir tomar um tablito na padoca da esquina, ver pessoa, árvore, carro, asfalto, graffiti, meio-fio, cigarro, periquito, cachorro, bar, buraco, ambulância, pet shop, varal, carrinho de yakult. Enxergar vidas e objetos; esquecer palavras. 

Substantivo vá lá, mas o adjetivo: é o que fode tudo.