sábado, 2 de fevereiro de 2013

Olhos.

Eu poderia ser menos dramática, feminista, resmungona, romântica, hiperbólica, insatisfeita, sensível e gorda. Mas talvez eu me tornasse apenas uma magricela idiota que se portasse como um pote sedutor de compota vencida na prateleira do supermercado. Não posso ser menos dramática, feminista, resmungona, romântica, hiperbólica, insatisfeita, sensível e gorda, porque sou. E porque sou apenas os olhos de quem vê. Os olhos bons ou ruins.