quinta-feira, 5 de abril de 2012

Vital.


Pouca coisa é mais produtiva do que a infelicidade: estimula magnificamente a criatividade e a imaginação, aguça a percepção, a sensibilidade. O infeliz é visceral, crítico, desiludido, incomodado como a mulher que anda de absorvente torto por dentro da calça jeans apertada, e talvez só ele possa escavar uma nova era. Mas nada é mais vital do que ser um paquiderme seguindo seu ardiloso fluxo natural. Também há felicidade onde não se pode ver.