quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Estranhas.

[Muito prazer, Wislawa*. Entre e fique à vontade.]


AS TRÊS PALAVRAS MAIS ESTRANHAS

Quando eu falo a palavra Futuro,
a primeira sílaba já pertence ao passado.
Quando eu falo a palavra Silêncio,
o destruo.
Quando eu falo a palavra Nada,
crio algo que nenhum não-ser comporta.



(Extraído de PoemasWislawa Szymborska, tradução de Regina Przybycien, São Paulo: editora Companhia das Letras, 1ª ed., 2011.)


*A poetisa morreu ontem, 01/02/2012, aos 88 anos.