quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O burocrata, as formigas e uma incrível luta imaginária.

Até pouco tempo atrás eu tentava me munir de todas as informações possíveis em determinados contextos para que nenhum burocrata se divertisse doentiamente às minhas custas. Porque, em resumo, eu sempre tive pavor de ser passada para trás por essa rapaziada insana - ou de deixá-los fazer estripulias verborrágicas em cima do meu lombo. Mas, sabe, enquanto tento entender uma informação envolvendo receita federal e INSS e, ao levar um copo para a pia, vejo uma fileira de formigas que se formou por conta de, sei lá, uma gota de suco, eu entendo de forma bastante prática e clara que não há nada que possa ser feito contra essas duas pragas, tão indecifráveis, inabaláveis e incombatíveis. Conhecimento, autocontrole, paciência; completa ignorância, ira, pesticidas de todas as cores, cheiros e marcas. Dá tudo na mesma, porque não se trata de uma luta: sou apenas eu tentando não entregar os pontos.