sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Um caminho confortável para lugar nenhum.

Toda vez que vejo protestos assim, lembro do menino comunista radical que não se incomodava com o salário de 200 reais da doméstica mensalista na casa onde morava e das chantagens alimentares sofridas na infância envolvendo crianças africanas.